08/04/2017

CARTA DE ROGER CHARTIER EM DEFESA DA UERJ


  • CARTA DE ROGER CHARTIER EM DEFESA DA UERJ
  • Via ANPUH


(tradução)

Via Isabel Lustosa

Caros colegas e estudantes da UERJ,

Gostaria, através desta carta, de manifestar a minha solidariedade a vocês neste momento difícil pelo qual passa a vossa universidade.
Os cortes no orçamento que atingem os salários dos professores e funcionários e impedem o funcionamento da vossa instituição colocam em risco uma das universidades brasileiras mais respeitadas internacionalmente.
Sou testemunha da grande qualidade científica das investigações realizadas na UERJ onde dei, em várias ocasiões, cursos e seminários, tendo participado do grande sucesso intelectual que foi o último congresso de ABRALIC, realizando em setembro último.
Privar a UERJ dos recursos que são indispensáveis para a execução desta dupla tarefa de ensino e de investigação de alto nível internacional é um ato insano e desastroso.
Levar a UERJ à ruína não só seria destruir uma das instituições mais importantes no mundo universitário e intelectual brasileiro, mas também prejudicará gravemente a reputação do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil no exterior.
Muitos são os investigadores que, como eu, admiram o trabalho pedagógico e científico dos colegas do UERJ e colaboram com eles.
Todos estão escandalizados com a perspectiva de que este importante trabalho intelectual e social possa ser prejudicado ou, pior, destruído por decisões que tornem impossível o funcionamento normal da Universidade.
Professores e investigadores do mundo inteiro vem solicitando aos poderes públicos brasileiros, a começar por aqueles do Estado do Rio de Janeiro, que tenham consciência do desastre que significará a asfixia de UERJ e que, portanto, tomem, o mais cedo possível, as medidas indispensáveis para o evitar.

Com toda a minha solidariedade,
Roger Chartier
Professor Honorário no collège de France
Professor visitante da Universidade da Pensilvânia
Posts Relacionados Plugin for WordPress, Blogger...

Públicidade


 "Na idade média, o homem reza antes de sair de casa, hoje ele lê o jornal"   O último discurso de Martin Luther King,   Inauguração do Metrô de Mescou, 1935 
Diferencia entre los mayas y aztecas O Tráfico de escravos do Atlântico em 2 minutos. A Serpente emplumada, a história de Quetzalcoatl

Mais Vídeos AcervoPlay